skip to Main Content

XXV Mercado de Trocas para crianças e jovens

XXV Mercado De Trocas Para Crianças E Jovens

XXV Mercado de Trocas para crianças e jovens

3 de fevereiro de 2019, 10h00-13h00 – Centro Norton de Matos (Coimbra)

Apresentação

O XXV Mercado de Trocas para Crianças e Jovens – um projeto da Casa da Esquina e que conta com o apoio do Grupo de Estudos sobre Economia Solidária do CES (ECOSOL/CES) e de investigadores do Centro de Estudos Sociais.

O mercado de trocas para crianças e jovens tem um fundamento político-pedagógico, que é o de desprender as trocas de um modelo capitalista de atribuição de valor, valorizando a emergência de outras formas de pensar a organização da vida económica, no âmbito familiar.

Esta experiência busca estimular o desapego das crianças e jovens em relação aos brinquedos e bens diversos consumidos (roupas, acessórios, dispositivos tecnológicos etc), desatrelando o sentido do divertimento da acumulação de objetos sempre novos.

O mercado de trocas também desenvolve o sentido solidário de partilha, questionando a acumulação e a concentração de bens, presenciadas já de maneira preocupante nos hábitos infantis e juvenis de consumo. Assim, o mercado de trocas para Crianças e Jovens rebate a ideia dominante de que só as coisas novas têm valor e servem para divertir, sendo estimulado um ciclo de vida mais amplo para brinquedos, games, livros e outros bens, postos em circulação pelas crianças e jovens que participam da iniciativa.

No mercado de trocas é adoptada uma moeda social, denominada jardim (justamente por ter acontecido pela primeira vez no Jardim Botânico). A moeda social não está ancorada no euro e reforça o caráter lúdico e solidário da experiência: não só amplia as condições de troca entre participantes com produtos muito diferentes, como também reconstrói o valor das coisas conforme um sentido particularmente atribuído pelas crianças e jovens, na contramão do valor de troca estabelecido pelo mercado.

O Mercado continua a promoção de novas formas de economia que contribuem para boas práticas no âmbito da ecologia, da solidariedade e participação cidadã.

Ao fim de 25 edições continuamos a perguntar: para quê trocar? Porque não simplesmente o que já não queremos?

Tal como na doação, a troca permite fazer alguém feliz com o que já não queremos, mas também nos permite ficar felizes com o que já não serve a outra pessoa. Na realidade não só estamos a trabalhar o valor da solidariedade, como também a repensar o consumo, pois não precisamos de estar constantemente a alimentar a máquina consumista, uma vez que o que já existe pode mudar de mão e prolongar a sua existência poupando dinheiro, recursos e protegendo o ambiente. O valor está nas necessidades que cada um tem e como satisfazê-las sem comprar coisas novas diariamente. Ao mesmo tempo, trabalhamos a capacidade de escolha das crianças que durante o mercado gerem os seus jardins e determinam os brinquedos que querem comprar, numa perspectiva equitativa, pois no Mercado de Trocas todas as crianças recebem a mesma quantidade de moeda e têm as mesmas hipóteses de troca.

Para participar, como habitual, basta trazer uma manta e brinquedos, livros, jogos ou outros objetos que já não queiram. No mercado encontrarão, de certeza, outras brinquedos que irão despertar o seu interesse. A participação é limitada a crianças e jovens e a entrada é gratuita.

Fonte: XXV Mercado de Trocas para crianças e jovens

Deixar uma resposta

Back To Top