Participe no Humanidades Digitais.

Se desejar pode submeter aqui um artigo quer seja original ou com ligação para outro website.

Para entender o ORCid

Para entender o ORCid

  • É um identificador único e persistente de autor atribuído pelo sistema ORCid. Possui 16 dígitos, algo como “0000-0002-0123-208X”
  • É gratuito e não possui vínculo com nenhuma editora.
  • Permite identificar e individualizar pesquisadores e seus trabalhos: o pesquisador insere seu nome e as possíveis variações para o mesmo.
  • É internacional, nesses termos há maior visibilidade. Sob o ORCid de um pesquisador estão elencados seus trabalhos, bem como existe a possibilidade de preenchimento de palavras-chave relacionadas a sua área de atuação.  É possível realizar pesquisas por palavras-chave e descobrir outros pesquisadores que atuam em áreas de seu interesse.
  • Agências de fomento (FAPESP, CNPq etc.) já estão integradas ao ORCid. Nesses termos, é possível realizar importação automática dos dados.
  • A CAPES já solicita dos candidatos a bolsas e financiamentos de seus programas internacionais, um código de cadastro na ORCID. Leia mais aqui.
  • O currículo Lattes possui um campo para inserção do ORCid. No momento não há integração dos sistemas, que permitiria, por exemplo, migração de dados. A intenção é que isso ocorra em breve. Por ora é possível inserir no Lattes o seu ORCid. Vá em Dados gerais – Identificação – Outras bases bibliográficas – Inserir nova – Selecione ORCid e insira o seu número.
  • O ORCid permite importação de dados do Google acadêmico bem como de bases como Scopus, ResearchID, Redalyc e outras. Isso significa que sua produção deve estar cadastrada nesses recursos: se você possui perfil no google acadêmico poderá importar os dados, o mesmo ocorre com o ResearchID. Caso sua produção esteja indexada na Scopus, também será possível. Ter a produção cadastrada nessas bases bem como perfis de autor não é algo que se dá naturalmente: ou você já criou perfil, no caso dos identificadores, ou sua produção está em revistas indexadas em determinadas bases de dados.
  • A criação do ORCid autenticado USP é recomendada pois  a USP é reconhecida  como organização confiável, permitindo a coleta e conexão de dados. Na USP a fase de conexão (troca de dados por API) ainda não foi implementada, quando estiver em funcionamento sempre que houver alguma atualização de seus dados ou trabalhos, esta atualização será automática em seu registro.
  • Caso você já tenha criado um ORCid sem tê-lo associado à USP basta proceder à associação: Em http://www.usp.br/orcid/ selecione a opção “criar ou associar o seu ORcid”,  quando o sistema pedir, entre com Orcid e senha e autorize.
  • Importante lembrar que o ORCid é um identificador do pesquisador, mesmo que você mude de instituição o identificador permanecerá o mesmo

Neste tutorial de 6 slides você verá como criar seu registro ORCid

Este é um tutorial bastante completo, elaborado pelo SIBi-USP, que  apresenta o ORCid. A partir do slide 19 há instruções para preenchimento de informações, após ter criado o registro.

Veja aqui algumas informações gerais sobre o ORCid  elaboradas pelo SIBi-USP.

RESUMINDO, POR QUÊ? PARA QUÊ?  Em resumo, ter um registro no ORCid é interessante na medida em que permite a identificação do autor e sua produção em uma rede que é internacional. Diferente, portanto, do currículo Lattes de abrangência nacional. Estar na ORCid permite que seu perfil de pesquisador seja conhecido ao redor do mundo. Ninguém irá acessar suas publicações por ali, mas, sim, ver a sua trajetória de pesquisa. Evita ambiguidade de nomes e permite a correta atribuição de autoria. No momento acaba sim sendo mais um local para o preenchimento de informações, sobretudo se você possui cadastro em sistemas que permitem importação com o ORCid. A promessa de integração do ORCid com o Lattes é bastante interessante, pois com isso o pesquisador simplesmente retiraria seu pacote de dados do Lattes e inseriria no ORCid. A intenção da USP é que em um futuro breve a produção registrada em nossas bases seja automaticamente atualizada junto ao ORCid. Isso ainda não está implementado. Por enquanto, fica a certeza de que a adoção do ORCid é uma tendência mundial e instituições de fomento à pesquisa já estão exigindo que os pesquisadores estejam cadastros no sistema. Então caso você queira aguardar para atualizar dados, não possui tempo para tanto etc., fica a dica de que, ao menos, crie um perfil, obtendo o seu registro. Os dados você pode ir preenchendo conforme tiver tempo.

Fonte: Para entender o ORCid | Blog da Biblioteca da ECA-USP

Article written by Gonçalo Cordeiro

Fundador da Ideia, uma empresa que tem por atividade a consultoria e gestão no campo da cultura, e a investigação em relação com os países de língua portuguesa.

Be the first to comment

Deixar uma resposta