Investigação Científica, Monopólios do Conhecimento e Humanidades Digitais

Nos próximos dias 24 e 25 de outubro de 2018 decorre, no Departamento de Ciências Políticas da Universidade de Roma Tre, o encontro “La investigación científica, los monopolios del conocimiento y las Humanidades Digitales: Perspectivas críticas desde el Sur de Europa“. Organizado por Domenico Fiormonte (Università Roma Tre) e Manuel Salamanca López (Universidad Complutense), este encontro dá continuidade a um projeto iniciado em 2 de junho de 2016, com um seminário na Universidade de Málaga (“#CSHDSur: Ciencias Sociales y Humanidades Digitales del Sur”), ao qual se seguiu, a 20 de abril de 2017, a mesa-redonda “Digital humanities/ Humanidades Digitales / Informatica Umanistica: Un diálogo intercultural“, na Universidade de Roma Tre. Estes encontros têm como objetivo refletir sobre a geopolítica das Humanidades Digitais e as práticas e modelos hegemónicos na produção e disseminação de conhecimento nas ciências sociais e humanidades.

Temática do encontro

Nos últimos anos, a disseminação global das Humanidades Digitais abriu o caminho para uma visão mais crítica do uso da tecnologia da informação na esfera cultural. Em particular, questionando até que ponto as metodologias, standards, aplicações e ferramentas utilizadas globalmente em projetos que estão cada vez mais interconectados e interdependentes refletem certas predisposições, isto é, limites e vínculos culturais, bem como determinados interesses económicos, sociais, geopolíticos, etc. dos países e das áreas geográficas e linguísticas em que são produzidos. Obviamente, a discussão sobre os vínculos culturais da tecnologia tem uma longa tradição, mas o impacto das tecnologias de rede sobre a diversidade cultural está ainda pouco estudado.

Neste contexto teórico, as questões específicas abordadas neste encontro serão: 1) desigualdades (sociais, linguísticas, económicas, etc.) no acesso às tecnologias, ferramentas e aplicações através das quais a disseminação e a gestão do conhecimento em ciências humanas e sociais hoje se baseia (das plataformas de publicação de grupos privados como Elsevier, etc. ao desafio de OpenCon [Open Access, Open Data, Open Education]); 2) a concentração, cada vez mais prejudicial, em poucas mãos da maioria destes conteúdos, ferramentas e tecnologias; 3) o impressionante oligopólio anglo-americano e norte-europeu da publicação científica e académica; 4) o efeito negativo que todas essas concentrações (não só de propriedade, mas de códigos e linguagens) têm sobre a diversidade linguístico-cultural e sobre a liberdade e autonomia da investigação.

O objetivo deste encontro é trocar experiências e promover maior consciencialização ao nível dos países do Sul da Europa em relação a estas problemáticas, intimamente interligadas. Sem uma análise crítica dos processos em curso, qualquer digitalização implicará o risco de consolidar e reforçar as desigualdades sociais, económicas, políticas, culturais e tecnológicas na Europa.

Fonte: Investigação Científica, Monopólios do Conhecimento e Humanidades Digitais

Article written by Carlos Ferreira

Formador em TI, criou a WEBNUCLEO, uma micro empresa com perfil de consultora na área da gestão e publicação de conteúdos web. Acumula experiência e conhecimento na implementação de soluções com plataformas como o WordPress, Joomla, Open Journal System e Open Monograph Press.

Be the first to comment

Deixar uma resposta