skip to Main Content

desafios, lutas e direitos compartilhados na Amazônia

Desafios, Lutas E Direitos Compartilhados Na Amazônia


Comentador: Marcos Silva (CES)



Resumo

Fazemos uma reflexão a respeito da comunicação de sujeitos sociopolíticos em disputas emancipatórias na Amazônia, como campo privilegiado de vozes e histórias que lutaram e lutam, ao longo do tempo, para não serem silenciadas pelo sistema de dominação ancorado no tripé “colonialismo, capitalismo, heteropatriarcado” (Santos, 2006, 2010, 2014). Problematizamos o potencial da comunicação contra-hegemônica na construção e no fortalecimento de uma narrativa que tem como primazia a representação de mundos e saberes próprios amazônicos, negados ou considerados inexistentes pelo paradigma ocidental e a contribuição dela no processo da emancipação dos sujeitos e dos territórios da região.

O fio condutor é de que a comunicação dos sujeitos sociopolíticos em luta na Amazônia atua com o duplo movimento emancipatório no espaço público local/global: a) contribui para tecer, por meio de uma ecologia amazônica de saberes, alianças solidárias contra-hegemônicas transfronteiriças com potencial para forjar a luta cotidiana pela Amazônia e pela humanização desses sujeitos e, ao mesmo tempo, b) põe em visibilidade a desumanização à qual tais sujeitos estão submetidos pelo sistema neocapitalista, imperial/global, para exigir e reparar direitos.

Tal reflexão apoia-se também nas epistemologias do Sul, de Boaventura de Sousa Santos; da educação/comunicação, de Paulo Freire; de Cidadania comunicativa, de Maria Cristina Mata; de Hegemonia, de Antonio Gramsci; e do contexto da Amazônia, a partir da visão crítica de Manuel Dutra e Violeta Loureiro. Este seminário faz parte das investigações, em pós-doutoramento, no âmbito do projeto Cidadania comunicativa: lutas, desafios e direitos compartilhados na Amazônia, realizado em parceria com o Centro de Estudos Sociais/Laboratório Associado/da Universidade de Coimbra e Universidade Federal do Pará, Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) e Faculdade de Comunicação (Facom).



Programa:

Comunicação e emancipação

Encontros com as Epistemologias do Sul

A cidadania comunicativa na Amazônia

Práticas contra-hegemônicas



Notas biográficas:

Célia Regina Trindade Chagas Amorim – Investigadora em Pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais, Laboratório Associado, Universidade de Coimbra, Portugal. Núcleo: Democracia, Cidadania e Direito. Doutora e Mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) (Bolsas CNPq-Brasil) com pesquisa em comunicação alternativa/popular na Amazônia. Professora Associada I da Universidade Federal do Pará (UFPA – Brasil), Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCOM – UFPa) e  Faculdade de Comunicação (Facom – UFPa). Coeditora do Alice News (Ces/UC – Portugal). Coordenadora do Grupo e Projetos de Pesquisa Mídias Alternativas na Amazônia (UFPA) e Cidadania Comunicativa: Desafios, lutas e direitos compartilhados na Amazônia (UFPA-CES/UC). Tem graduação em Comunicação Social, Jornalismo, pela Universidade Federal do Pará.


Marcos Silva – Investigador em pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais – Universidade de Coimbra, Portugal, onde integra o Projeto POLITICS The politics of anti-racism in Europe and Latin America: knowledge production, decision-making and collective struggles, com financiamento: European Research Council. Doutor em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com Doutorado Sanduíche no Exterior PNPD/CAPES, na Universidade de Coimbra, Portugal, com pesquisa na temática das relações étnico-raciais, trajetórias de pesquisadores/as negros/as. Estágio pós-doutoral em Psicologia Educacional, com apoio da Capes/Brasil, com pesquisa sobre Letramento e desigualdades educacionais. Mestrado em Psicologia Educacional, e graduação em Psicologia, tem formação em Educação para as relações étnico-raciais.




 

Fonte: desafios, lutas e direitos compartilhados na Amazônia

Deixar uma resposta

Back To Top