skip to Main Content

Coronavírus 2020 [Originalmente publicado como editorial na Revista Brasileira de Enfermagem vol. 73 no. 2]

Por Angélica Gonçalves Silva Belasco e Cassiane Dezoti da Fonseca, Departamento de Enfermagem Clínica e Cirúrgica, Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil

Doenças infecciosas emergentes e reemergentes são constantes desafios para a saúde pública mundial. Recentes casos de pneumonia de causa desconhecida ocorridos em Wuhan, China, levaram à descoberta de um novo tipo de Coronavírus (2019-nCoV), que são RNA vírus envelopados, comumente encontrados em humanos, outros mamíferos e aves, capazes de causar doenças respiratórias, entéricas, hepáticas e neurológicas(1).

Até o momento, são seis as espécies de Coronavírus conhecidas que causam doenças em humanos. Quatro dessas (229E, OC43, NL63 e HKU1) causam sintomas comuns de gripe em pessoas imunocompetentes, e duas espécies (SARS-CoV e MERS-CoV) provocam síndrome respiratória aguda grave com taxas elevadas de mortalidade(2).

É provável que outros Coronavírus, periodicamente, afetem humanos devido à alta prevalência das infecções, ampla distribuição do vírus, diversidade genética, recombinação frequente de Coronavírus e aumento da interface homem-animal(12).

Imagem: Brian McGowan.

O 2019-nCoV, denominado Novel Coronavirus-Infected Pneumonia (NCIP), foi confirmado por meio do lavado bronco-alveolar, sequenciamento de genoma inteiro, PCR e cultura nos pacientes hospitalizados em Wuhan, China. A análise completa do genoma do vírus enquadrou-o no gênero betacoronavírus, que inclui também o SARS-CoV, descobertos em humanos, morcegos e outros animais selvagens(3).

Com relação às características epidemiológicas e clínicas dos casos confirmados de 2019-nCoV, na cidade de Wuhan, China, uma coorte retrospectiva de 41 pacientes demonstrou que 66% (27 pacientes) tiveram contato direto com um grande mercado de frutos do mar e animais. A idade média foi de 49 anos, com prevalência do sexo masculino. Foram considerados importantes sinais e sintomas do 2019-nCoV: febre (98%), tosse seca (76%), dispneia (55%), mialgia ou fadiga (44%) e linfopenia (63%)(4).

Nesse contexto, as secreções respiratórias foram consideradas o principal meio de propagação do vírus. A análise de cultura de células epiteliais das vias aéreas humanas, a microscopia eletrônica e o sequenciamento completo do genoma da cultura sobrenadante foram compartilhados com a Organização Mundial da Saúde, destinando-se à vigilância e detecção da infecção 2019-nCoV globalmente e na China(1).

Sumariamente, ainda é desconhecida a evolução viral e patogenicidade do 2019-nCoV. Embora com letalidade baixa em torno de 3%, a transmissibilidade se apresenta alta(1). No entanto, os estudos inferem a possível transmissibilidade animal-humano e humano-humano.

Portanto, a ausência de vacina contra o 2019-nCoV reforça entre a população, em geral, a adoção das medidas de prevenção contra a infecção, preconizadas pela OMS, como realizar higiene das mãos, evitar ambientes fechados e contato com pessoas provenientes da região onde o surto teve início. Para os profissionais da área da saúde, o uso dos óculos de proteção ou protetor facial, máscara cirúrgica/N95, avental, luva de procedimento e lavagem das mãos devem ser utilizados para a prestação de assistência aos casos suspeitos ou confirmados de infecção por 2019-nCoV.

Notas

1. Zhu N, Zhang D, Wang W, Xingwang Li, Yang B, Song J, et al. A novel Coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. N Eng J Med 2020; 1-7. doi: 10.1056/NEJMoa2001017

2. Cui J, Li F, Shi ZL. Origin and evolution of pathogenic coronaviruses. Nat Rev Microbiol 2019; 17: 181-92. doi: 10.1038/s41579-018-0118-9

3. Tan WJ, Zhao X, Ma XJ. A novel coronavirus genome identified in a cluster of pneumonia cases: Wuhan, China 2019-2020. China CDC Weekly 2020;2:61-2. doi: 10.1056/NEJMoa2001017

4. Huang C, Wang Y, Li X, Ren L, Zhao J, Hu Y, et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Lancet. 2020;pii:S0140-6736(20)30183-5. doi: 10.1016/S0140-6736(20)30183-5

Referências

Cui J, Li F, Shi ZL. Origin and evolution of pathogenic coronaviruses. Nat Rev Microbiol 2019; 17: 181-92. doi: 10.1038/s41579-018-0118-9

Huang C, Wang Y, Li X, Ren L, Zhao J, Hu Y, et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Lancet. 2020;pii:S0140-6736(20)30183-5. doi: 10.1016/S0140-6736(20)30183-5

Tan WJ, Zhao X, Ma XJ. A novel coronavirus genome identified in a cluster of pneumonia cases: Wuhan, China 2019-2020. China CDC Weekly 2020;2:61-2. doi: 10.1056/NEJMoa2001017

Zhu N, Zhang D, Wang W, Xingwang Li, Yang B, Song J, et al. A novel Coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. N Eng J Med 2020; 1-7. doi: 10.1056/NEJMoa2001017

Links externos

Angélica Gonçalves Silva Belasco <http://orcid.org/0000-0002-0307-6225>

Cassiane Dezoti da Fonseca <https://orcid.org/0000-0002-2118-8562>

BELASCO, A.G.S. and DA FONSECA, C.D. Coronavírus 2020 [Originalmente publicado como editorial na Revista Brasileira de Enfermagem vol. 73 no. 2] [online]. SciELO em Perspectiva, 2020 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2020/03/20/coronavirus-2020/



Fonte: Coronavírus 2020 [Originalmente publicado como editorial na Revista Brasileira de Enfermagem vol. 73 no. 2]

This Post Has 0 Comments

Deixar uma resposta

Back To Top