skip to Main Content

Conversar sobre máquinas: um breve relato sobre a conferência “Moral Machines”

Conversar Sobre Máquinas: Um Breve Relato Sobre A Conferência “Moral Machines”


Texto e fotos de Cecília Magalhães e Mariana Chinellato.

O evento “Moral Machines? Ethics and Politics of the Digital World” ocorreu nos dias 6, 7 e 8 de março na Universidade de Helsinki, afiliada ao Helsinki Collegium for Advanced Studies.  O programa Materialidades da Literatura foi devidamente representado no painel “Machines as Artists” pelas comunicações “Creativity in Computer-Generated Narratives” de Mariana Chinellato e “Automatic and creative: playing with algorithms and fragments in the Book of Disquiet Archive” de Cecília Magalhães. A partir da apresentação foi lançada uma roda de discussão muito prolífica em torno do que seria de fato a definição de criatividade, tendo em vista abordagens que tratam do artefato e do próprio processo criativo em diferentes instâncias.

Figs. 1 e 2: Mariana Chinellato e Cecília Magalhães na apresentação do painel “Machines as Artists”.

O evento contou com a participação de conferencistas de peso como Katherine Hayles e Bernard Stiegler, além de outros investigadores no âmbito dos estudos filosóficos e sociais concernentes aos avanços maquínicos em todas as esferas da nossa sociedade. Projetos discutindo moralidade na produção de autômatos no setor militar, de prevenção de desastres e de melhorias no acesso de dados no setor da saúde também foram temas fortemente discutidos. Outro ponto de interesse foi a discussão levantada em torno da ideia de cognição em viés paralelo a processos de construção de pensamento crítico, imaginativo  da própria relação entre os processos de “pensar” e “fazer”.

Figs. 3, 4 e 5: Apresentação dos conferencistas convidados – Katherine Hayles, Bernard Stiegler e Maria Mäkelä.

Foram três dias de intenso debate, a partir de uma perspectiva crítica alongada pelo viés filosófico, sobre os processos transformativos da tecnologia em nossa sociedade. Ponto que também ressalta, nesse sentido, o excelente trabalho feito por Susanna Lindberg e Hanna-Riikka Roine na eficiente organização  de um evento de peso internacional, com público de diferentes campos das Humanidades Digitais, que foi maravilhosamente permeado por uma  atmosfera de escuta, participação e receptividade.


Fonte: Conversar sobre máquinas: um breve relato sobre a conferência “Moral Machines”

Deixar uma resposta

Back To Top