Participe no Humanidades Digitais.

Se desejar pode submeter aqui um artigo quer seja original ou com ligação para outro website.

Conferência Internacional Limiares na Literatura e nas Artes

O Centro de Estudos Clássicos e o Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa promovem a Conferência Internacional «Limiares na Literatura e nas Artes», a decorrer em Lisboa nos dias 7 e 8 de Junho de 2018. A data limite para envio de propostas é dia 31 de Janeiro de 2018.

Apresentação

Durante o último século, o conceito de “liminaridade” foi merecendo uma atenção cada vez mais acentuada em diversas áreas, da psicologia à antropologia, da filosofia aos estudos literários e culturais. No entanto, o estado que esta palavra define é muito anterior à existência da própria palavra. Basta pensar nos mitos, nos heróis e nos deuses associados à catábase, bem como noutras formas de passagem na cultura da Antiguidade greco-latina, para ter uma ideia do enraizamento histórico deste conceito.

Etimologicamente, o termo deriva da palavra latina limen – “limiar” –, que partilha a mesma raiz presente na palavra limes – “limite”, “margem”, “fronteira”. Se, por um lado, a semelhança quase idêntica da grafia apresenta a ideia comum de algo (uma pedra ou um pedaço de madeira) que é colocado transversalmente para assinalar o fim e/ou o início de um local, por outro lado, a ligeira diferença ortográfica espelha as suas diferenças funcionais e ontológicas. Na verdade, se o limen assinala o limite de um edifício ou de um aposento, a sua relação com o acto de “passagem” é claramente antitético ao do limes. Como define Mircea Eliade (The Sacred and the Profane, Harcourt, 1987, p. 25), o limiar é o lugar paradoxal que liga os mesmos dois espaços que separa: sob regras e rituais precisos, o limiar permite a passagem e quase que a exige. A função do limes, pelo contrário, é a de assegurar a impermeabilidade dos dois espaços.

O objectivo da presente conferência internacional é estimular a reflexão sobre este terceiro espaço, literalmente ambíguo, que desafia toda a lógica binária dentro/fora (bem como acima/abaixo, antes/depois, etc.). Dada a vasta extensão do tema, este primeiro encontro, que será seguido, assim se espera, por outros de maior alcance, incidirá nas manifestações multifacetadas do “limiar” na literatura e nas artes.

Mais informações no site do Centro de Estudos Comparatistas.

Fonte: Conferência Internacional Limiares na Literatura e nas Artes

Article written by Carlos Ferreira

Formador em TI, criou a WEBNUCLEO, uma micro empresa com perfil de consultora na área da gestão e publicação de conteúdos web. Acumula experiência e conhecimento na implementação de soluções com plataformas como o WordPress, Joomla, Open Journal System e Open Monograph Press.

Be the first to comment

Deixar uma resposta