Carolina Maria de Jesus – ambivalências de uma intérprete do Brasil da modernidade na não-modernidade

Resumo

No Brasil os marcadores sociais das diferenças alavancam discussões bipartidas na atualidade sobre a performance literária  de escritores e escritoras negras nos países que passaram por processos de colonização. A ausência histórica de um contexto de representatividade e de proporcionalidade de vozes não-brancas em espaços acadêmicos e de celebração da literatura tem suscitado um acalorado debate acerca do ofício da escrita, com base na pirâmide de opressões raciais e de gênero e no processo de superação de identidades partidas.  Nesse contexto, a obras e a trajetória da escritora negra, pobre e favelada, que ficou mundialmente conhecida nos anos de 1960, chegando a ter seu livro “Quarto de despejo: diário de uma favelada “proibido” por Salazar em Portugal, passa a ser considera como uma avalanche contra narrativa e de oposição aos ditames da “modernização”  à brasileira arduamente questionados por essa escritora que experimento na pele os males desse processo instalado no Brasil ao lado de cosmogonias de matrizes africanas e indígenas em constante reinvenção.  São muitas as Carolinas de Jesus a percorrer terras brasileiras, materializada na presença de diversas mulheres negras, indígenas ou mestiças enfrentando os desafios diários de re-existir num contante movimento de modernidade na não-modernidade.

Nota biográfica

Raffaella Fernandez é doutora em Teoria e História da Literária (2015) no IEL-UNICAMP, com estágio de doutorado no Institute de Textes et Manuscrits Modernes (ITEM/ CNRS) na École Normale Supérieure de Paris (Capes-PDSE/2013) sobre os aspectos literários, dispersos nos manuscritos inéditos de Carolina Maria de Jesus. Atualmente é pós-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura da UFRJ (PNPD/Capes) e do Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC-UFRJ), sob supervisão da Profa. Dra. Heloísa Buarque de Hollanda. É investigadora integrada ao CLEPUL (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras) da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (2014).

Em  2018 publicou o livro A poética de resíduos de Carolina Maria de Jesus e  organizou o livro ‘Meu sonho é escrever” de Carolina Maria de Jesus. Também organizou o livro Onde estaes felicidade? de Carolina Maria de Jesus em 2014.

Atividade no âmbito do Programa de Doutoramento erm Estudos Feministas (CES/FLUC)

Fonte: Carolina Maria de Jesus – ambivalências de uma intérprete do Brasil da modernidade na não-modernidade

Article written by Carlos Ferreira

Formador em TI, criou a WEBNUCLEO, uma micro empresa com perfil de consultora na área da gestão e publicação de conteúdos web. Acumula experiência e conhecimento na implementação de soluções com plataformas como o WordPress, Joomla, Open Journal System e Open Monograph Press.

Be the first to comment

Deixar uma resposta