skip to Main Content

Brasil, Sertão e Amazônia – Fronteiras e Narrativas

Brasil, Sertão E Amazônia – Fronteiras E Narrativas

Resumo


Na tradição instituída no pensamento social é comum encontrarmos algumas imagens-síntese, por isso mesmo complexas, que se tornaram consagradas no imaginário coletivo do Brasil. O binômio moderno natureza/cultura, selvagem/civilizado, razão[iluminista]/ pensamento selvagem marca, de forma decisiva, a política de desenvolvimento do território brasileiro. Do nacionalismo emergente no século 19, responsável por contrastar uma ideia de Amazônia e Sertão como espaços “não-integrados” do território nacional, ao país urbano-industrial do século 20, as representações sobre essas regiões reforçaram uma espécie de narrativa sobre/na fronteira. As territorialidades nacionais: “sertanejos” e “indígenas” constituem outros planos de representação no cinema, na literatura e na fotografia, que trazem à tona a possibilidade de enxergar através de outras cosmovisões. 


Um caminho possível, no intuito de tentar pensar tais imagens, será o esforço de tensionar o pensamento social brasileiro [a historiografia literária, o cinema e a fotografia] com as [narrativas] geopoéticas de povos de distintas regiões, desde a Amazônia até o Sertão nordestino, com especial atenção aos espaços liminares, intersticiais e de fronteira. 



Notas biográficas

Josoaldo Lima Rêgo (Universidade Federal do Maranhão) – Mestrado e doutorado pela Universidade de São paulo (USP), com estágio de doutorado em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. É professor de Geografia da Universidade Federal do Maranhão. Realiza pesquisas sobre os seguintes temas: planejamento territorial urbano e regional, novas territorialidades na Amazônia.


Marcus Ramusyo de Almeida Brasil  (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão) – Mestre em Comunicação pela Universidade Paulista, Doutor em Ciências Sociais (Política) pela PUC-SP e Pós-Doutorado em Comunicação pela UFRJ. Comunicólogo, videasta e músico. É professor de Comunicação / Fotografia e Multimídia do IFMA e Coordenador do Núcleo de Produção Digital (IFMA/MinC/MAVAM). Coordenador do NUPPI (IFMA/CCH) – Núcleo de Pesquisa e Produção de Imagem.

Fonte: Brasil, Sertão e Amazônia – Fronteiras e Narrativas

Deixar uma resposta

Back To Top