Biblioteca Municipal da Guarda dedica Março a Natália Correia

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda, promove, durante o mês de Março, um ciclo dedicado a Natália Correia, com uma exposição, um recital, um documentário, uma conferência e um colóquio com as presenças de  personalidades que conviveram com a escritora ou conhecedoras da sua obra, como é o caso da arquitecta Helena Roseta, do romancista, dramaturgo e jornalista, Fernando Dacosta, ou da atriz Elisabete Piecho.

O programa dedicado à poetisa inicia-se a 5 de Março com a exposição “Natália Correia: a feiticeira cotovia”. Uma mostra, a visitar até ao dia 31, organizada em vários núcleos temáticos, que permite conhecer a produção literária da poetisa, nas suas diferentes variantes, bem como a sua acção cívica, o seu empenhamento, não só em várias causas humanitárias como na denúncia de regimes autoritários, e a sua entrega na defesa da liberdade, da causa feminina, do património nacional e da paz mundial.

Já no dia 8, pelas 21h30, a atriz Elisabete Piecho dá voz a poesias seleccionadas da obra “Antologia de poesia portuguesa erótica e satírica” de Natália Correia. A escolha dos textos deste pequeno recital, “E o verbo fez-se carne”, reflecte o gosto pessoal da “diseuse”, cujo intuito é partilhar com pequenas audiências momentos de humor e momentos de sensualidade, sem outra preocupação que não o prazer de dizer e o prazer de escutar.

O ciclo prossegue no dia 13, às 18h00, com o documentário “A senhora da rosa (Natália Correia)”, de Teresa Tomé. Um documentário que nos leva ao encontro de Natália Correia, seguindo um caminho que ela própria traçou – “A partir de agora, se alguém me quiser encontrar, procure-me entre o riso e a paixão”.

“Natália Correia, um ser que veio do futuro” é o tema que Fernando Dacosta escolheu para uma conferência sobre a escritora, a realizar no dia 16, às 18h00. Segundo Fernando Dacosta, “Natália Correia tornou-se uma referência de intervenção pública que ganha, 25 anos depois do falecimento, actualidade crescente. De pensamento e ideias avançadíssimas, ela foi, com Fernando Pessoa e Agostinho da Silva, das vozes mais ousadas (futuristas) do século XX português”.

Por fim, Helena Roseta traz-nos o seu testemunho sobre Natália Correia, como testamenteira do espólio literário e artístico e como amiga e atenta leitora e admiradora da poetisa. Trata-se do colóquio “Natália Correia – um itinerário interior”, para assistir no dia 21, às 18h00, na Sala Tempo e Poesia.

Fonte: Biblioteca Municipal da Guarda dedica Março a Natália Correia

Article written by Carlos Ferreira

Formador em TI, criou a WEBNUCLEO, uma micro empresa com perfil de consultora na área da gestão e publicação de conteúdos web. Acumula experiência e conhecimento na implementação de soluções com plataformas como o WordPress, Joomla, Open Journal System e Open Monograph Press.

Be the first to comment

Deixar uma resposta