skip to Main Content

Ações afirmativas, identificação racial e identidade nacional no Brasil

Ações Afirmativas, Identificação Racial E Identidade Nacional No Brasil


Comentários: Bruno Sena Martins (CES)



Resumo

O presente seminário tem o objetivo de analisar diferentes fases de um fenomêno que marcou a história recente da sociedade brasileira: as políticas de Ações Afirmativas. Como procurei mostrar em trabalho de conclusão de doutorado (Jesus, 2011), o debate em torno destas políticas não se resumia ao de acesso e permanência, de negros e indígenas, ao ensino superior, mas fazia confrontar projetos de nação distintos e, por vezes, antagônicos. Se por um lado, identificavámos os que defendiam a Democracia Racial, e ancorados em um anti-racismo universalista (D’Adesqui, 2001) se opunham às Ações Afirmativas, por outro estavam os que denunciavam tal crença como Mito, capaz de  ofuscar as desigualdade sociais e as discriminações contra negros e contra indígenas.

Embora a primeira fase das Ações Afirmativas no Brasil, 1) de debate público em torno da política, seja ilustrativa dos embates entre os projetos nacionais distintos; as fases subsequentes, 2) implementação da política e 3) avaliação e acompanhamento, parecem confirmar a hipotese apresentada na tese, principalmente a partir da no contexto da terceira fase, de comissões de heteroidentificação racial, responsaveis por averiguar a pertinência das auto-declarações raciais, pré-requisito para acesso à política.

Nota biográfica

Rodrigo Ednilson de Jesus é Graduado em Ciências Sociais, mestre em Sociologia e Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto da Faculdade de Educação da UFMG, vinculado ao Departamento de administração Escolar. Foi coordenador do Eixo Escola e seus sujeitos do Curso de Formação de Intercultural de Educadores Indígenas da UFMG; Coordenador Geral de Educação para as Relações Étnico-Raciais na SECADI (Ministério da Educação). Entre 2013 e 2019 compôs a Coordenação do Programa Ações Afirmativas na UFMG e no período de 2014 a 2019 foi Pró-Reitor Adjunto de Assuntos Estudantis da UFMG. Atualmente é Pós-doutorando do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

 

Fonte: Ações afirmativas, identificação racial e identidade nacional no Brasil

Deixar uma resposta

Back To Top